Município Peso da Régua

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Sabia que...

Mais do que quatro incêndios em cinco têm causas humanas?
Comportamentos de negligência tais como fumar em florestas e acender fogueiras, são responsáveis pela maior parte dos incêndios florestais?

Os incêndios florestais podem ser provocados por falta de cuidado e a maior parte desses incêndios florestais podem ser evitados. No nosso país, os incêndios provocam a perda de milhares de hectares de floresta, todos os anos, sendo certo que o melhor meio de combate às chamas é a Prevenção.

É necessário que cada um de nós contribua para a defesa do património florestal, pois este é um bem necessário para a riqueza do nosso país.

                Portugal sem fogos depende de todos

 

 

A maior parte dos incêndios florestais é provocado por actos negligentes: um cigarro atirado ao chão, uma fogueira indevidamente ateada, um foguete mal lançado numa qualquer festa de aldeia.

Durante o verão, não seja culpado de um crime como este, e denuncie se vir alguém a fazê-lo.

 

Durante o verão, na floresta:

NÃO ATIRE CIGARROS PARA O CHÃO

NÃO FAÇA FOGUEIRAS OU LUME DE QUALQUER TIPO

NÃO LANCE FOGUETES OU BALÕES DE MECHA ACESA

Para reflectir…

EM CASO DE INCÊNDIO, LIGUE 112 OU 117

(chamada gratuita)

 

Queimas, Queimadas, Foguetes e outras formas de fogo

 

Período crítico: período que decorre entre 1 de Julho e 30 de Setembro. O período crítico pode ter início mais cedo, ou ser alargado, por Portaria do Ministério da Agricultura do Desenvolvimento Rural e das Pescas.

Queimas

 

  • Uso do fogo para eliminar sobrantes de exploração cortados e amontoados.

Recomenda-se que sejam seguidos os seguintes passos:

         - Contactar o Gabinete Técnico Florestal;
         - Informar os Bombeiros Voluntários de Peso da Régua da localização da queima que pretende realizar, tipo de matéria e quantidade que irá queimar;
         - Observar as condições meteorológicas (velocidade, direcção do vento e temperatura ambiente);
         - Criar ou verificar aceiros;
         - Dividir o material combustível, de modo a queimar partes mais pequenas; 
         - Manter sempre (durante e após a queima) vigilância permanente;

         - Efectuar a queima de preferência da parte da manhã até às 10h00 ou depois das 18h00.


Em todos os espaços rurais, no período crítico é proibido queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração.
As restrições acima referidas mantêm-se fora do período crítico, desde que se verifique o índice de risco de incêndio de níveis muito elevado e máximo.


Queimadas

  • Uso do fogo para a renovação de pastagens e eliminação de restolho.

Durante o período crítico ou nos dias de índice de risco de incêndio elevado ou superior é proibida a realização de queimadas, em todos os espaços rurais.
Fora desse período, a realização de queimadas só é permitida (nos espaços rurais) após licenciamento na respectiva câmara municipal, que deve designar a data para a realização dos trabalhos e só pode ser efectuada na presença de um técnico credenciado em fogo controlado ou, na sua ausência, de equipa de bombeiros ou de equipa de sapadores florestais.

Sem acompanhamento técnico adequado, a realização de queimadas é considerada uso de fogo intencional

 

Foguetes e outras formas de fogo

Durante o período crítico não é permitido o lançamento de balões com mecha acesa e de quaisquer tipos de foguetes.
Em todos os espaços rurais, durante o período crítico, a utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, que não sejam os indicados anteriormente, está sujeita a autorização prévia da respectiva câmara municipal. 

O desrespeito da legislação aplicável constitui contra-ordenação punível com coima de 140 € a 5.000€.