Município Peso da Régua

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

 

 English  

 

 

 

Na margem esquerda do rio Douro, encontramos a freguesia de Covelinhas. Para lá chegar, é necessário fazer um percurso de cerca de 10 quilómetros para Este, depois da Régua, em caminhos sinuosos.Covelinhas nasceu e cresceu com vista para o rio Douro, nele reflectindo toda a sua simplicidade. Junto à margem passa a linha de caminho de ferro, que possibilita, saindo da Régua e indo até ao Pocinho, um dos mais belos itinerários ferroviários de sempre.

Deixamos Covelinhas e subimos até Galafura, onde se pode visitar a Igreja Matriz (séc. XVI), o seu Campanário e um Cemitério Mouro. Nesta freguesia encontrará, também, um dos miradouros mais bonitos de toda a região duriense, o miradouro de S. Leonardo, onde Miguel Torga mergulhava no rio e se embrenhava na paisagem magnânima deste "Doiro sublimado", a quem num dos seus "Diários" chamou de "excesso de natureza". Sobre uma pedra está registado um excerto da obra daquele que é considerado um dos maiores escritores portugueses do século passado, na qual o Douro é uma presença constante.
Deste lugar contam-se lendas e histórias, que aumentam o encanto destas paragens, um dos lugares mais belos do concelho reguense, paragem obrigatória para quem visita o Douro.

A contrastar com os xistos do casario humilde, erguem-se casas brasonadas que testemunham a nobreza de muita gente que passou por Canelas. Aqui, poderá visitar a Estação Arqueológica do Alto da Fonte do Milho, um monumento nacional de origem romana, bem como a Casa do Covelo, um edifício oitocentista. Contudo, o Santuário da Senhora das Candeias é o lugar ideal para admirar esta freguesia. A capela foi mandada construir por D. Maria I, em honra de Nossa Senhora da Purificação. Nesta freguesia nasceu o general Silveira, mais tarde Conde de Amarante. Também aqui nasceu João de Araújo Correia, médico e escritor reguense, que a todos orgulha pela obra que dedicou ao Douro e às suas gentes.

Poiares, como povoação, é antiquíssima, ignorando-se, contudo, a data da sua fundação. Sabemos que foi a Ordem do Templo que a instituiu, tendo nela fundado um mosteiro. Como a população de então era pouca, os cavaleiros trataram de povoá-la por meio do aforamento de terrenos aos seus familiares, aos serventes e a outras pessoas, encarregando-se eles da construção de um templo e da constituição de uma freguesia autónoma.

Em Poiares, vale a pena visitar a Casa da Comenda, a Igreja Matriz, a Capela de Santa Bárbara e a Capela de Nossa Senhora da Graça, junto ao cruzeiro. O Seminário de Poiares está alcandorado numa formosa colina a 450m de altitude. Este Seminário foi residência particular de S. Ex ª Rev. D. Manuel Vieira de Matos, arcebispo de Braga e Primaz das Espanhas. Daí o epíteto que ainda hoje conserva de "Vila do Arcebispo Primaz". Por um acto de inspirada caridade o benemérito prelado legara a sua vila à Congregação Salesiana de S.G. Bosco. Com a criação da diocese de Vila Real em 1924, este Seminário tornou-se um Instituto Missionário, pois nele recebiam educação e instrução alunos do curso preparatório, que aspiravam ao apostolado missionário nas terras ultramarinas do Império Português. Actualmente, neste Seminário são ministrados os cursos do 1.º e 2.º ciclo, sendo frequentado por crianças de ambos os sexos.

Vilarinho de Freires é uma das freguesias mais antigas do concelho de Peso da Régua. Antes de Portugal ser constituído nação independente, já Vilarinho de Freires tinha sido fundado, começando, no entanto, por integrar o concelho de Santa Marta de Penaguião. É atravessado pelo rio Tanha, que não muito longe se encontra com o Corgo. Numa encosta de terras fertéis em vinha e oliveira, é um lugar tranquilo, de características rurais.  A visita a esta freguesia vale pela paisagem dominada pela vinha. Mesmo assim, existe a Igreja Matriz erguida em homenagem à padroeira, Nossa Senhora das Neves, a Capela Quinta da Ponte, a Casa Grande e a Casa da Carranca para apreciar. O Morro do Castro, de origem romana, é um dos lugares mais visitados de Vilarinho de Freires.

As visitas ao Douro falam de uma enorme diversidade de cenários de grande riqueza e embalam-nos entre episódios carregados de enormes sensações tão encantadoras como a descoberta, a cada momento, de novos desafios.

 

Galeria

 

 

    Vista geral de Covelinhas  Rio Douro